quinta-feira, Fevereiro 18, 2010

Espiral de Arquimedes

Arquimedes concluiu que se uma linha recta for desenhada num plano e se, permanecendo fixa uma das suas extremidades, ela girar com uma velocidade uniforme um número qualquer de vezes até retornar à posição de que partiu e se, além disso, durante esta rotação da linha recta, um ponto se mover sobre a recta com uma velocidade uniforme a partir da extremidade fixa, o ponto descreverá uma espiral no plano. O resultado é o que chamamos hoje espiral de Arquimedes.


De forma não menos perspicaz, concluí que apesar da maior relevância da descoberta, Arquimedes não teria relações sexuais com grande frequência.

5 Comments:

Blogger redonda said...

:)

3:55 da tarde  
Blogger Amil Neila said...

És capaz de ter razão. Arquimedes era mais píveas na banheira.

8:57 da tarde  
Blogger DomingonoMundo said...

Curiosamente,tinha tirado a mesma conclusão a partir de Zenão, cujo celibato se deve a nunca ter conseguido apanhar a tartaruga...

9:38 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Sem dúvida, um regresso em grande forma!

2:31 da tarde  
Blogger _E se eu fosse puta...Tu lias?_ said...

Sarava!


Sim... já dizia a minha avó e muitas outras Rosas, que "não há bela sem senão".

5:31 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home


referer referrer referers referrers http_referer